festival de verão do rs de cinema internacional

pra não ficarmos dizendo que a movie art veio para santa maria trazendo só cinemão. vou ter que achar um jeito de acompanhar essa programação.

Matéria da ZH:

A notícia é daquelas que traz ao mesmo tempo prazer e angústia para os cinéfilos. A quinta edição do Festival de Verão do RS de Cinema Internacional está maior e melhor, mas dar conta dela – assistir em uma semana ao maior número possível de filmes inéditos, entre 120 títulos de diferentes países – exige tempo e organização. São cinco pontos de exibição na Capital: Unibanco Arteplex, Casa de Cultura Mario Quintana, Sala. P.F. Gastal, Cine Santander e Cine Bancários. O festival também promoverá sessões em Santa Maria, Erechim, Rio Grande, Caxias e Guaíba.

figura1

O Festival de Verão tem abertura oficial amanhã, às 21h, no vão central da CCMQ, com a projeção ao ar livre do documentário brasileiro Cantoras do Rádio, de Gil Baroni e Monica Rischbieter, que revê a trajetória de artistas que brilharam na era dourada do rádio no Brasil, entre 1930 e 1950. A partir de sexta, a maratona tem início com filmes que circularam pelos mais importantes festivais internacionais e nacionais – muitos ainda sem distribuição assegurada no país. A lista de atrações estrangeiras traz longas como o turco 3 Macacos, prêmio de melhor direção no Festival de Cannes de 2008, e o americano Dúvida, com os atores indicados ao Oscar Meryl Streep e Philip Seymour Hoffman, além de mostras especiais com produções contemporâneas de países como França, Alemanha, Portugal e Finlândia.

O Brasil está representado por longas dos mais variados perfis e gêneros, de potenciais sucessos de público, exemplo de Divã, adaptação do livro de Martha Medeiros, a trabalhos autorais como A Festa da Menina Morta, estreia na direção do ator Matheus Nachtergaele.

— Estamos com o dobro de filmes das edições anteriores, o que já coloca o nosso evento como um dos principais do gênero no país — explica o cineasta Beto Rodrigues (da Panda Filmes), que divide com Aleteia Selonk (da Okna Produções) a direção do festival. — Conseguimos crescer na contramão da crise.

Além da maratona cinéfila, o festival vai promover workshops gratuitos com, entre outros, o montador Cesar Custódio e o diretor Pablo Meza, nomes de referência do cinema argentino contemporâneo. Os preços das sessões são os praticados por cada sala. Informações: (51) 3019-4881 e www.festivalverao.com.br.

Confira os filmes, locais de exibição e horários das sessões na seção Estilo de Vida

Não deixe de ver

3 Macacos (2008) – Prêmio de melhor direção em Cannes para o turco Nuri Bilge Ceylan. O título refere-se à imagem dos macacos que nada falam, ouvem e escutam. Drama familiar que tem início quando um motorista assume a culpa por crime cometido pelo patrão. Dias 14 (17h30), 17 (15h30) e 18 (15h30), no Unibanco Arteplex.

Dúvida (2008) – A estreia na direção do dramaturgo americano John Patrick Shanley conta com um vigoroso trabalho dos atores – foram quatro indicações ao Oscar nas categorias de interpretação. Meryl Streep e Philip Seymour Hoffman protagonizam trama sobre freira que acusa padre de abusar de um menino. Dias 13 (19h30), 15 (17h30) e 17 (21h30), no Unibanco Arteplex, dia 19 (20h30), na Paulo Amorim.

Aquele Querido Mês de Agosto (2008) – O longa do português Miguel Gomes combina de forma engenhosa ficção (a jornada de pai, filha e primo músicos que se apresentam pelo interior de Portugal) e documentário (a interação da equipe e atores com a população local). Dias 17 (20h), na Eduardo Hirtz, 18 (16h30), na P.F. Gastal, e 19 (19h), no CineBancários.

Divã (2009) – José Alvarenga Jr. adapta o livro da escritora Martha Medeiros. Lilia Cabral vive mulher de 40 anos que compartilha com o psicanalista suas alegrias, aflições e desafios. Dia 19 (21h15), no Unibanco Arteplex – sessão comentada com Martha Medeiros.

Anúncios