cartas de um velho safado

burroughs21

que agradável surpresa! abri o jornal e me deparei com uma página, muito bem escrita por sinal, onde Rodrigo Scharwaz lembra a data de aniversário de william burroughs. são poucos os que se atrevem a reconhecer a importância da obra e trajetória desse maldito, burroughs. literato, drogadito, intelectual, visionário, inconsequente, genial, perdulário, malandro, andarilho, idolatrado, vagabundo, artista, incorrigível, sagaz, delinquente, corajoso, mestre, copiador, inventor, alquimista, montador, velho, fedido, fudido, desejado, old bull lee.

na década de 80 a l&pm publicou “cartas do yage”, correspondências que burroughs manteve com allen ginsberg na metade dos anos 50 quando ele desceu em direção à américa do sul, passando pela central, em busca do que ele chamou de “barato definitivo”, o barato propiciado pelo yage, também chamado pelos índios de ayahuasca ou caapi.

“a planta banisteriopsis caapi é uma trepadeira que cresce na amazónia e produz uma droga conhecida pro vários nomes: para os índios brasileiros e colombianos ela é a caapi, enquanto no peru, bolívia e equador ela é chamada de ayahuasca. nos andes ela tem o nome de yagé, e é obtida através da fervura das cascas recém-formadas da trepadeira caapi.

o princípio activo do caapi, conhecido como harmina, pode ser extraído e transformado em cloreto de harmina, droga aspirada ou mascada para produzir os mesmos efeitos da beberagem.
Imediatamente após a ingestão de yagé, o usuário vomita; em seguida, começam os efeitos propriamente ditos: embriaguez acompanhada por alucinações e espoucar de luzes coloridas. Também pode ocorrer insonia, perda de coordenação e vertigens. à medida que os efeitos se intensificão, as alucinações entram num grau mais avançado e o usuário pode experimentar um aumento de visão noturna e um desenvolvimento da energia psíquica, assim como uma estimulação dos sentidos sexuais

a harmina produz efeitos e sensações semelhantes aos da mescalina, acrescidos de embriaguez. afirma-se que a droga aumenta a percepção extra-sensorial, fazendo com que o usuário adquira a capacidade de prever eventos futuros”.

assim fica mais claro entender porque ele nominou “barato definitivo”. porém, até chegar ao yage, willian percorreu uma trilha úmida e quente, passando por quartos de hotéis baratos com meninos imberbes, insaciáveis e ladrões, além de embates com funcionários públicos corruptos. esse painel é apresentado a ginsberg, ajundando na construção estereotipada do gringo sobre a AL. eu prefiro fazer uma metáfora do explorador obcecado em achar a cidade dourada e despojar tudo o que puder até vomitar. e foi exatamente isso que ele fez, porém nem assim conseguiu, naquele momento, o barato definitivo.

fonte: ciência viva

Anúncios